Social icons

em casa: granola caseira

08 abril 2020

Uma receita muito simples... Mas muito deliciosa. Depois de várias experiências a fazer granola caseira cheguei à conclusão de duas ou três coisas que gostaria muito de partilhar convosco. São dicas fáceis que resultam numa granola feita em casa, sem corantes, nem conservantes. Só uma mão cheia de frutos secos e muito amor. Para verem como é feita é só continuarem a ler o post de hoje.




Estarmos em casa faz com que a possamos aproveitar mais, tirar o melhor partido dela. Faz-nos sentir gratos e obriga-nos a valorizá-la. Todos os dias. É a nossa casa. O nosso forte. E, neste momento, o nosso abrigo. Para quem não tem um tipo de trabalho que possa ser feito a partir de casa (que é o meu caso), o tempo pode ser aproveitado de uma forma produtiva. Para além do exercício físico (que tem sido diário e será tópico de outro post), cozinhar tem sido um escape fabuloso.

Temos tempo, temos recursos e temos que ter criatividade. Saber exactamente o que há disponível na despensa e conseguir aproveitar tudo, ao máximo. Uma mão cheia de frutos secos que estão há muito guardados. As bagas de goji que estavam perdidas no fundo do cesto, ainda embaladas. O coco ralado que está por ali, ad eternum. E há iogurte grego no frigorífico. E muito tempo para lanchar. E muita fome para snacks. Por isso, juntamos tudo com uma pitada de rapas de limão...e voilà: temos uma granola caseira deliciosa.




Receitas de granola há muitas. A primeira vez baseei-me numa que encontrei por aqui. Depois percebi que não é preciso ter uma receita por onde nos guiar, já que não há ciência nenhuma por detrás de uma granola feita em casa.

Ora bem, segundo a internet:

a granola consiste de uma mistura de frutas secas , grãos, sementes e açúcar mascavo. Foi inventada em 1886 por um médico suíço.


Li também que o médico seria americano. Factos históricos à parte, a verdade é que granola é, na sua essência, uma mistura de frutos secos que vai ao forno com açúcar mascavado. A minha granola não leva açúcar mascavado. Em vez disso uso um bocadinho de mel para caramelizar a mistura. Por isso vamos lá...



Na base do tabuleiro coloco flocos de aveia. Depois acrescento os frutos secos (que costumo comprar a granel e assim posso escolher exactamente os que mais me agradam), coloco o mel por cima e misturo tudo. Pré-aqueço o forno e antes de colocar o tabuleiro ponho umas raspinhas de limão. Há quem ponha canela, que também fica muito gostoso, mas eu adoro o aroma e textura que o limão deixa na mistura. Fica maravilhoso. Desta vez juntei também côco ralado. Tinha umas lascas de côco tostadas que queria utilizar então pensei dar primazia a este ingrediente.


Desta vez a mistura de frutos secos era composta por avelãs, nozes e amêndoas. Triturei um pouco todos os ingredientes para que pudessem incorporar melhor na aveia e pus sementes de abóbora inteiras. O truque da granola é irem mexendo a mistura durante a cozedura e, se necessário, rectificar o mel. Queremos um aspecto douradinho e caramelizado, sem exageros. No fim coloquei as lascas de coco que já estavam tostadas e as bagas de goji. Deixei o tabuleiro no forno, já apagado, por mais uns minutos.


Nada daquilo que fiz tem ciência. As medidas são as da mão e do olho. O resultado depende do gosto de cada um. Depois de a mistura arrefecer, coloquei-a num frasco hermético e conto que me dure algumas semanas — ou até desaparecer, porque está realmente gulosa.

Fica perfeito se acompanharem com o tradicional iogurte grego, com fruta fresca, para o pequeno-almoço, mas podem também usá-la com açaí. Uma dica extra que vos posso dar e que fica divinal é servirem-na com puré de maçã reineta. A minha mãe tem feito este puré, apenas com fruta cozida, e depois de o passar muito bem fica com uma textura homogénea, como se fosse uma mousse. É fresco, doce mas com um toque de acidez e liga super bem com a granola que fiz. 

Por isso, se tiverem frutos secos, aveia, raspas de limão e mel (ou açúcar mascavado), toca a experimentar esta granola caseira.

Publicar um comentário