Social icons

o último ano...

01 julho 2021

e a vida, ultimamente. Que tem sido colocada em pausa, à espera de melhores dias, de dias mais seguros, dos dias de antigamente. E hoje não sei se os dias de antigamente voltarão. Espero genuinamente que sim. Até porque este é um espaço de esperança e coisas boas. E como em Julho entro no meu último mês dos (v)intes, pensei que seria o mês perfeito para retomar a escrita e partilhas aqui pelo blog...

Já faz mais de um ano desde que publiquei o meu último post e num mundo vergado perante uma pandemia mundial, não me senti capaz de voltar a partilhar por aqui. Mas...

todos precisamos de um escape. De escrever e ler e fotografar coisas bonitas. De uma janela para pequenas histórias e memórias, que nos levem para longe da realidade, nem que seja por uns minutos.

Na verdade, demorei muito a querer voltar a escrever. Por um lado já existe toda uma panóplia de aplicações e formas de publicar e consumir conteúdo, muito mais cativantes e com cada vez mais adeptos. Por outro lado, a falência criativa e motivacional em que entrei no último ano (não entrámos todos?) fez com que não sentisse vontade de fazer — praticamente — nada.

Mas depois pensei: este blog começou em 2012, precisamente para ser um escape criativo, uma plataforma onde poderia explorar outras áreas que não a da minha formação. Um blog que assentava na premissa da partilha de ideias, fotografias, opiniões, histórias e experiências. E dava-me um gozo tremendo. Partilhar as minhas viagens, receitas, detalhes. 

Se alguém lia não era a questão. É claro que a comunidade que se foi formando aqui é maravilhosa! Os vossos comentários e sugestões foram fundamentais para que o blog crescesse, solidificasse, ganhasse outros contornos. Acabei por criar óptimas amizades que tiveram como ponto de partida a pequena caixa de comentários deste universo digital e que depressa saltaram para o plano tridimensional, que é a minha vida.

Mas a verdade é que a base deste blog não passava — nem nunca passou — pelas visualizações ou números. Se o alcance era ou não significativo, se recebia ou não muitas respostas, se tinha ou não parcerias, nada disso importava porque, no fundo, era o prazer de fotografar, editar e escrever que alimentava esta minha vontade. Sempre vi este little tiny pieces como um diário, uma jornada pessoal. Um caderno que, no online, me permitia navegar pela minha própria lembrança e recordar os melhores momentos que fui tendo.


Desde que comecei a trabalhar na aviação que o tempo em terra era pouco e acabei por me ir distanciando deste espaço, sem nunca o esquecer. Mas depois, em 2020, veio uma pandemia mundial. E tudo ficou em standby. Os artigos que queria publicar das viagens à América do Sul, a Londres, Madrid, Amesterdão, perderam o seu sentido. De que valeria continuar a publicar sobre viajar pelo mundo se este agora fechava as suas portas e via-se ameaçado, à escala global, por um vírus desconhecido e invisível? Não. Tudo teria que esperar. Tal como nós. Que esperámos e desesperámos. E continuamos à espera.

Voltarei para vos falar — "vos" assumindo que haverá alguém ainda desse lado, se não, servirá apenas para meu desabafo — sobre como foi o meu ano de 2020. O que aconteceu, o que mudou, o que foi melhor e pior. Porque, apesar de tudo, dois mil e vinte foi um ano extraordinário, com tanto de bom como de mau. E eu quero registá-lo, para nunca esquecer.

De volta ao blog. Ao meu escape. Encaro-o desta forma. E demorei muito tempo a voltar a ter vontade. Pensava muitas vezes que gostava de voltar a escrever mas nunca sentia, efectivamente, o impulso para o fazer. Hoje foi o dia. Primeiro de julho de dois mil e vinte e um, o ano do meu trigésimo aniversário. 

Quero que este seja um espaço de partilhas bonitas, como sempre o foi, para que possamos pensar em algo mais do que pandemia. E cá estou; cheia de ideias e cheia de vontade...

4 comentários

  1. E é bom ver o blogue de volta ao activo novamente.
    Foi em 2020, precisamente, que encontrei o blogue (acho que, precisamente, através do último post antes da pausa).
    De facto, o aparecimento da pandemia afectou muita gente, de diversas formas... e, obviamente, para quem trabalhava na área, como tu, não deve ter sido excepção.
    E claro, o blogue acaba por ficar em "pausa" por falta de sentido em escrever ou partilhar coisas sobre viagens.
    Eu também senti isso mesmo, aquando do regresso da viagem à Islândia, que coincidiu mais ou menos com a oficialização da Pandemia.

    Mas pronto, lá se vai publicando, não com tanta regularidade, mas vai-se tentando. Espero o mesmo por aqui. Inclusive, tenho dois artigos teus para ler, aqui guardados na minha lista de leitura, sobre o Furnas Boutique Hotel e outro sobre a Madeira. :)

    Cá estarei para ir acompanhando.

    Beijinho dos Açores

    ResponderEliminar
  2. Feliz por este regresso e espero genuinamente que continues a partilhar a tua criatividade. Obrigado!

    ResponderEliminar
  3. Catarina França07 julho, 2021 21:24

    Bem vinda de novo!! Quanta saudade de te ler.

    ResponderEliminar